0

O lendário (e temido) seguro PB4

O Fato: se você quer viajar para Portugal e ficar por lá por um período mais longo, você precisa de um seguro de saúde. É algo que o consulado pede como requisito para o visto (E mesmo se o consulado não pedisse, era algo que é bom ter. Nunca se sabe o que pode acontecer, não é?), ou seja, comece a procurar e providenciar tudo o quanto antes.

Na verdade providenciar e preparar tudo o quanto antes é talvez o conselho mais certo que eu posso dar para você que está reunindo documentos para a viagem. Algumas coisas que são pedidas, demoram um pouco para ficarem pronta. Nada de deixar para a última hora! Programe-se e comece já, trate tudo como se fosse pra ontem!

Pois bem, voltando ao seguro. Quem viaja para Portugal tem duas opções: pode comprar um seguro de viagem, daqueles tradicionais. Qualquer agência de viagem oferece o serviço, o preço é algo em torno de R$700 a R$1.000 (ou até mais dependendo do que você procura). Consulte um agente de viagem da sua região para saber mais.

Mas, pra quem procura alguma opção mais barata, existe o PB4, que praticamente sai “de grátix”.

Mas afinal, o que é o PB4? É um acordo entre Portugal e Brasil (por isso PB), que dá aos contribuintes do INSS, o direito de assistência médica e hospitalar em terras portuguesas com os mesmos direitos e taxas de um cidadão local (o mesmo vale para portugueses em nossas terras). Ou seja, se você ficar doente, pode chegar em qualquer hospital e apresentar seus documentos, que será tratado (e cobrado) como um cidadão português.

E quem pode tirar? Todos que contribuem com o INSS. E quem não contribui? Pode começar a contribuir, pagando como autônomo, mais precisamente como “contribuinte facultativo”. Você vai pagar as três parcelas mínimas exigidas (cerca de R$: 230) e já pode solicitar o seguro. Ou, se você tem menos de 21 anos e não é contribuinte, mas seu pai e/ou mãe são, você pode solicitar o seguro como dependente.

Entendi, e como tirar? Você deve procurar o Ministério da Saúde da sua região. Eu poderia falar aqui quais documentos e qual o passo a passo para ter o documento em mãos, mas não vou.

Porque? Antes de finalmente tirar o PB4, eu entrei em todas as páginas possíveis sobre isso na internet, e cada uma delas dizia uma coisa. No final, o meu processo foi diferente de todos outros. Só soube realmente o que eu precisava quando liguei para o Ministério do meu estado e me informei (com a Quica, que foi super querida e atenciosa). Acredito que cada secretaria tenha um padrão para emitir esse documento, então o mais certo a se fazer é ligar e se informar sobre eles.

Atenção: Tirei o PB4 em Florianópolis. Então, só leve a lista abaixo a sério SE e somente SE você pretende tirar o documento lá também!

  • Xerox da reserva da passagem
  • Xerox do passaporte (folhas de identificação, 1ª e 2ª páginas)
  • Xerox da identidade e CPF
  • Xerox da carta de aceite da faculdade
  • Xerox do comprovante de residência
  • Xerox da carteira de trabalho: página da fotografia, dados pessoas e contrato de trabalho (para os contribuintes)
  • Xerox do carnê da contribuição da previdência, último mês contribuído (para os autônomos)

Endereço: Praça Pereira Oliveira / Centro – Florianópolis. Telefone: (48) 3222-8567

P.S: O documento em Florianópolis sai na hora. Depois de ter em mãos, você ainda tem uma missão na mesma rua: no cartória ali pertinho, reconhecer firma de quem lhe entregou o documento (aproveite e já tire uma cópia autenticada, é ela que você deve apresentar no consulado). Depois disso, tudo ok!

Viu, o PB4 nem é tão temido assim…

Espero ter ajudado, qualquer dúvidas deixem nos comentários. (:

0

First step: A inscrição.

Turbulência, indecisão e finalmente o primeiro passo dado! Depois de passar dias de tortura para decidir em qual das famosas faculdades de Portugal iríamos passar nossos seis meses, eis que veio a luz: UNIVERSIDADE DO MINHO. Localizada na charmosa e histórica cidade de Braga, essa gigante oferecia tudo o que queríamos: um curso divertido, que favorece nossa carreira profissional e um custo de vida aceitável (como o Felipe já havia comentado no primeiro post).

universidade-do-minho

~In love~ com essa Universidade linda ❤

Iniciamos então a nossa saga.

O primeiro contato foi com a CRI (Coordenadoria de Relações Internacionais) da FURB (local onde estudamos),  para nos informar dos procedimentos. Recebemos a ficha de candidatura, ficha de alojamento contrato de estudos e toda a orientação necessária na hora de escolher as matérias.

A UMinho recebe todos os semestres MUITOS intercambistas de todos os lugares do mundo, por isso o processo seletivo deles é simples, acredito eu, para facilitar essa mobilidade.

No site da Secretaria de Relações Internacionais da UMinho (SRI) você pode fazer o download dos formulários de candidatura e buscar mais informações sobre os acordos de mobilidade.

Bom, é isso! Estamos ansiosos para dividir com vocês nossos momentos de angústia, felicidade e principalmente: ANSIEDADE.

Beijinhos ❤

Ana.

Obs. * A documentação necessária para essa inscrição depende da sua universidade de origem, por isso é sempre bom se informar com o departamento de relações internacionais.

0

O começo.

ano-portugal

Qualquer coisa que a gente faça, antes de tudo, precisa ser planejada. O desejo de se aventurar em outro continente não apareceu da noite pro dia (nem poderia, é tanta burocracia). Desde o ano passado, eu a Ana viemos pesquisando e planejando, buscando a melhor opção de intercâmbio que a nossa faculdade tinha a oferecer. Daquele começo, até a decisão final do destino, fizemos um verdadeiro “tour” pela Europa: Da Dinamarca para Alemanha, da Alemanha para Suécia, e finalmente da Suécia para Portugal.

Não que Portugal tenha sido a última opção, pelo contrário! Apenas analisamos cada país e o que a faculdade de lá oferecia a jovens publicitários. Alemanha por exemplo, só tinha para a gente coisas voltadas para a área de Marketing e administração. Suécia o mesmo. Dinamarca oferecia um curso muito bacana: “cinema e criação”, mas o custo de vida era o maior de todos, isso sem contar o frio intenso (mesmo eu que encho a boca para falar que amo o frio, fiquei com um pé atrás por passar seis meses por lá). Então, fomos atrás de informações sobre Portugal.

Adoramos! Era quase como se os “contra” das outras cidades virassem os “prós” em Portugal: o clima que parece com o nosso, um custo de vida aceitável, um curso que ao mesmo tempo era divertido e favorecia a nossa formação. Ainda por cima, Portugal compartilhava com o Brasil o bom e velho português! (não só isso, como também toda uma história é claro, isso eu pretendo descobrir e contar aqui quando chegar lá e começar a aventura de verdade). Depois da escolha do país ainda restava a dúvida da cidade. Optamos por Braga, uma cidade a poucos quilômetros de Porto. Lá que está situada a UMinho (http://www.uminho.pt/), nosso futuro local de estudos.

Então, com isso decidido é que começou um verdadeiro calvário aqui mesmo no Brasil: a busca de documentos e a espera das respostas.

Hoje, faltando praticamente um mês para o embarque, inauguramos “oficialmente” o blog, para compartilhar as aventuras da viagem. Durante os “estresses” (visto, passaporte, seguro, etc) no Brasil, contamos com a ajuda de muitos outros viajantes, mesmo que eles não saibam o tanto que contribuíram com seus blogs de viagem (muitos de anos e anos atrás). Então, quero que este espaço tenha o mesmo valor para você que, como a gente, pretende viajar para as terras portuguesas.

Aproveitem o blog e boa sorte!

Felipe.