0

About changes.

Pego o calendário e começo a contar os dias. Já são quase 20h de um domingo qualquer, tô sozinha em casa. O silêncio só é quebrado pelo barulho das teclas do notebook. Entre um bate-papo e outro no facebook, começo a perceber que o grande dia está chegando…

Nessa semana já começam as despedidas, mesmo que eu embarque só na próxima semana. O coração aperta só de imaginar ter que dizer um até logo. Mas, mesmo assim, continuo radiante e firme de que tomei a decisão certa.

Ainda não tirei as malas do sótão, muito menos planejei o que colocar nelas. Dei uma rápida olhada nos documentos e comecei a fazer uma checklist de lugares que quero conhecer.

Hoje comecei uma limpeza no meu quarto. Cortei o cabelo e já tô querendo mudar mais algumas coisas.

Mudar. Uma palavra tão simples, definida pelo dicionário como transformar, substituir…

Acho que a ideia do intercâmbio é essa: transformar as pessoas. Substituir a rotina. Deixar pra trás algumas coisas ruins (e as lembranças boas também!) e aquelas coisinhas bobas que te aborrecem às vezes. Mas também nos fazer abrir a mente para novas experiências, viver novos ares.

Como qualquer outra decisão sempre temos que lidar com as consequências, que no caso pode ser definida como saudade…

Mas acho que vale a pena, não é?

Termino o meu post com a promessa de escrever em breve e também com um trecho de uma música linda da MPB que merece ser compartilhada:

E assim chegar e partir, são só dois lados da mesma viagem
O trem que chega, é o mesmo trem da partida
A hora do encontro é também despedida, a plataforma dessa estação é a vida desse meu lugar. (Encontros e Despedidas – Milton Nascimento).

Ana C. Morello.

0

Hora do terror: o visto!

visa2

Inscrição feita e aceita, PB4 em mãos e passagens compradas. Tudo muito bom, tudo correndo bem, só faltava uma pequena coisa: O VISTO (ou Visa). Foram três semanas preparando os documentos com cuidado extremo para que nada fosse esquecido, afinal, o plano era uma viagem apenas para Curitiba (local do Vice-Consulado). A lista para dar entrada no pedido de visto é extensa, mas foi bem explicada, então nessa parte de “interpretação” não tivemos muitos problemas. Massante mesmo foi correr atrás da papelada.

No Vice Consulado de Curitiba (como no caso do PB4, aqui a história é a mesma: se informe sobre os documentos no consulado da sua região), os documentos pedidos foram os seguintes:

1) Formulário de pedido de visto preenchido online, aqui (obs: preencha “São Paulo” em campo consular).

2) 3 fotos 3×4 coloridas e atualizadas.

3) Passaporte original com validade superior a 3 meses.

4) 1 fotocópia autenticada do passaporte (folhas com número e assinatura, folhas de identificação e folhas carimbadas).

5) 1 fotocópia autenticada da identidade.

6) original da certidão de antecedentes criminais, com menos de 90 dias emitida pela PF (não é aceito o pelo internet). Atenção aqui: esse documento geralmente leva 7 dias para ficar pronto, e se deve ter a assinatura do escrivão reconhecida em cartório.

7) Fotocópia autenticada do PB4.

8) Comprovativo das condições de alojamento em Portugal. Nossa universidade enviou junto com a carta de aceite essa confirmação. (Se não conhecer ninguém em Portugal, apresentar reserva de hotel superior a 5 dias)

9) Comprovativo da existência de meios de subsistência em Portugal. Uma declaração de responsabilidade assinada pelos pais, com firma reconhecida, e o último imposto de renda. Vale também levar algo demonstrativo do salário dos pais.

10) Carta de aceite da universidade Portuguesa. E uma carta da universidade Brasileira confirmando a seleção do aluno para o intercâmbio.

11) Carta de intenções, dizendo quanto tempo pretende ficar em Portugal, como conseguiu o intercâmbio, porque ele é importante e etc.

12) Comprovante de endereço em nome do requerente.

13) Reserva de passagem.

14) Fotocópia de TODOS OS DOCUMENTOS ACIMA SOLICITADOS. Nada de relaxar nessa parte, o vice-consulado não tira xerox na hora!

15) A acta de entrevista, declaração de responsabilidade e o requerimento para a polícia portuguesa. (esses três documentos vieram em anexo a lista que recebi do CRI, depois é só imprimir e preencher)

Com tudo em pastas organizadas ao extremo, cuidadas e guardadas com segurança máxima, partimos na madrugada fria de uma sexta feira rumo a Curitiba. Porque, segundo fontes “seguras”, o horário de atendimento era no estilo quem chegar primeiro ganha. Pensávamos que a partir das 6:30 da manhã seriam distribuídas senhas na portaria do prédio do consulado, e o atendimento começaria de verdade as 8 horas. Só pensávamos mesmo…

Não foi assim?

NÃO! Chegamos lá 6 horas da manhã (no típico frio de Curitiba nessa época). E qual foi nossa surpresa ao descobrir que o sistema de senhas não era mais necessário, e que o atendimento começava para todos as 8hrs (isso porque era sexta feira, nos demais dias só 9:30). Das 6 as 8hrs ficamos no saguão do prédio, tremendo de frio e de medo e conversando com um paraguaio que nasceu em Macau mas que dizia que era Português e trabalhava no Brasil mas falava espanhol (hã???).

Depois disso, entramos e o atendimento em si foi bem rápido. Só alguns problemas com o sistema (típico), o que fez a gente passear um pouco pelo centro da cidade procurando um scanner. Depois de tudo entregue e confirmado, só o que restava era esperar, esperar e esperar. Contávamos com um prazo de 30 dias de angústia até a confirmação.

Após receber a confirmação do consulado por email, você deve encaminhar o passaporte junto com os papéis que eles solicitam por sedex para o consulado de Curitiba, de lá eles mandam para São Paulo para colocar o adesivo do visto no passaporte, depois mandam de volta para você. Para nossa sorte, todo o processo (da visita ao consulado até a chega por correio) aconteceu em mais ou menos 20.

Agora é só alegria.

(advertimos que os títulos dos posts pode ser um pouco exagerados, nada preocupante)